Primeiros passos para escrever um artigo científico

O primeiro passo para escrever um artigo científico é obviamente realizar a pesquisa científica em si: identificar um problema, rever a literatura, planejar uma estratégia de como investigar o problema, realizar a pesquisa experimental ou teórica necessária, comparar os resultados com a literatura, interpretar os dados, etc. No entanto, assumindo que a maior parte da pesquisa foi realizada, como e quando começar a escrever um artigo científico?

A resposta para essa pergunta é bastante pessoal. Cada pesquisador desenvolve uma estratégia para escrever o manuscrito. Por exemplo, já me foi sugerido começar pelo resumo (abstract) para ajudar a definir o problema e o escopo do artigo. No entanto, o importante é que a sua estratégia funcione para você e que o produto final, o artigo, seja satisfatório.

O meu processo de escrever o manuscrito se inicia quando 2/3 do trabalho está realizado, ou seja, no momento em que as seguintes condições foram atingidas:

  • O problema está bem definido e uma revisão da literatura mostrou que o problema é relevante.
  • A estratégia de pesquisa está estabelecida e os dados já obtidos até o momento começam a ajudar a delinear as conclusões.

Nesse momento eu começo a esboçar o manuscrito da seguinte forma:

  1. Escrevo o chamado “statement of purpose”: uma frase ou parágrafo curto que resume o objetivo e o escopo do trabalho. Note que o escopo de um artigo pode ser uma sub-parte de um projeto maior, no qual um problema específico identificado nesse “statement of purpose” é investigado.
  2. Faço o “outline” do trabalho, escrevendo os cabeçalhos e a estrutura (veja Fig. 1). Os cabeçalhos são um pouco mais detalhados do que pode aparecer no artigo final. Eu uso os cabeçalhos para identificar as ideias que precisam ser discutidas. No entanto, no trabalho final talvez algumas seções sejam combinadas, principalmente se cada seção não for muito extensa. No exemplo abaixo, as seções “materials” e “sample preparation” talvez possam ser combinadas. O mesmo pode ser dito das sub-seções da discussão, que na versão final podem aparecer simplesmente como parágrafos separados dentro da seção “Discussion”.
  3. Coloco os gráficos nas respectivas seções e tento ver se há deficiências: dados que não foram obtidos em condições ideais e que devem ser retomados, experimentos que estão faltando, dados insuficiente para estimar as incertezas, etc.
  4. Escrevo alguns pontos principais dentro de cada seção, particularmente se algumas conclusões já estão delineadas.
Outline

Fig. 1. Exemplo de estrutura.

Nesse ponto, é frequentemente necessário refazer algumas medidas, tomar novos dados ou fazer novos experimentos para checar alguns dos resultados ou melhorar as estimativas das incertezas. É necessário também fazer uma revisão mais cuidadosa da literatura, principalmente da literatura recente. Existe a possibilidade de que algum artigo novo relevante para o manuscrito tenha saído.

Se as etapas acima foram cumpridas, escrever o artigo em si é simples (ainda que tome tempo), pois ele se reduz a registrar de forma lógica e clara o trabalho intelectual que já foi em grande parte realizado.

Algumas sugestões para economizar tempo:

  • Mantenha o layout do manuscrito simples: única coluna, espaçamento duplo (para anotações), fonte simples (e.g. Times New Roman, Arial). Não há necessidade de formatar o artigo como ele apareceria na revista ou de perder tempo com o layout ou com a escolha das fontes, pois tudo isso será perdido no momento da publicação.
  • No começo eu coloco os gráficos no meio do artigo para facilitar a minha leitura. Na versão final a ser submetida para a revista, o manuscrito não deve conter figuras – estas devem ser submetidas como arquivos separados. (Confira as instruções da revista.)
  • Ao longo do processo descrito acima é importante sempre tentar se distanciar do manuscrito e tentar revê-lo com “olhos de revisor”. Se esse trabalho tivesse sido submetido para publicação por algum outro grupo, quais seriam as suas críticas ao trabalho como revisor? Frequentemente eu deixo o artigo “na gaveta” por algumas semanas antes de submetê-lo.
  • Caso trabalhe com o Microsoft Word, use a numeração automática de cabeçalhos e defina estilos (“Heading 1”, “Heading 2”…) apropriados. Se a escolha da revista para a qual o manuscrito vai ser submetido mudar, é fácil mudar a numeração dos cabeçalhos conforme o padrão da revista agora escolhida.
  • Caso trabalhe com  Microsoft Word, use também as ferramentas de legenda e referência cruzada automática, para evitar erros na numeração das figuras e tabelas.
  • Use sempre um aplicativo de gerenciamento de referências, como o “EndNote”. Isso evitará muitos erros na lista de referências e economizará um tempo enorme, principalmente depois que as suas referências já estão incluídas na base de dados do “EndNote”. Hoje é até difícil imaginar como sobrevivemos sem isso.

Leia também:

Contribuiu para este artigo: Emico Okuno.

About these ads

Sobre Eduardo Yukihara

Eduardo G. Yukihara é Professor Associado na Oklahoma State University. É bacharel (1995) e doutor em Física pela Universidade de São Paulo (2001), tendo sido orientado pela Profa. Dra. Emico Okuno. Sua produção científica inclui mais de 50 artigos publicados em revistas científicas internacionais e co-autoria do livro “Optically Stimulated Luminescence: Fundamentals and Applications”. É membro do conselho editorial da revista Radiation Measurements e faz revisão de manuscritos regularmente para mais de 15 revistas científicas, incluindo Medical Physics, Radiation Measurements, Nuclear Instruments and Methods in Physics Research, Journal of Luminescence, Physics in Medicine and Biology e Physical Review B.
Galeria | Esse post foi publicado em Publicando. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Primeiros passos para escrever um artigo científico

  1. Olá Eduardo, mais uma vez um ótimo texto.

    Sobre o “EndNote” e gerenciadores de referências, realmente é difícil imaginar como viver sem eles. Entretanto, eu não uso e não conheço o layout do EndNote porque ele é um programa pago.
    Neste sentido, vou deixar aqui o nome do programa que eu uso e que acho muito bom. Como ele é open source, talvez, ele e possa servir como alternativa para outros estudantes. Certo?

    O nome do programa é Mendeley e ele pode ser baixado diretamente do site, (http://www.mendeley.com/)
    Como eu não conheço a performance do EndNote, não sei dizer qual é o melhor.

    Grande abraço.
    Arthur.

  2. LUCIZEUDA MOREIRA DE CARVALHO disse:

    Olá, Eduardo. Boa tarde, gostaria de ter orientações sobre elaborar ( Artigos p trabalhos Acadêmicos na área de Administração). Obrigada. Aguado sua resposta.

  3. Thiago Freitas disse:

    Estou interessado em criar artigos em minha área de estudo que é construção civil, e quem sabe um dia algum destes vir a ser publicado. Seu texto é ótimo para orientar iniciantes nesse mundo de compartilhamento de conhecimentos. Eu assim como vários outros que estão começando precisamos de pessoas como você. Parabéns pela iniciativa em ajudar.

  4. Nancy Pacheco disse:

    Estive em Cuba ,e gostaria de preparar um artigo com o tema/
    Educação, Leitura e Cultura. Comparando com o Brasil

Contribua para a discussão com seus comentários ou sugestões (por favor, identifique a sua área de atuação). Evite perguntas específicas que podem ser melhor respondidas por um(a) orientador(a) ou colegas da área.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s