Sugestões para melhorar sua palestra

Se você já tem uma apresentação oral para uma conferência preparada, mas não está satisfeito e quer melhorá-la, este artigo apresenta algumas sugestões.

As observações e exemplos apresentados são baseados no nosso trabalho atual preparando três palestras para uma conferência internacional.

Para isso, nosso grupo de pesquisa tem se revezado na apresentação das palestras como treino, tentando notar as falhas e usando essas anotações para tornar todas as palestras mais efetivas.

As dicas abaixo talvez não sejam válidas em todas as áreas, mas vale a pena conhecê-las e experimentá-las.

Só um alerta: não tente fazer isso nas vésperas da conferência. Trabalhe com antecedência para poder testar as modificações. Peça a opinião de colegas. Teste a apresentação com o seu grupo de pesquisa. Ganhe confiança no material antes de se aventurar.

As sugestões tentam seguir três princípios:

A) Respeito à duração da palestra

Se a palestra é de 12 minutos, não adianta tentar falar rápido para cobrir mais material, nem discutir tudo nos mínimos detalhes. Estourar o tempo é considerado rude e desrespeitoso (veja o item 2 do artigo “Como se portar em um congresso” no blog “Sobrevivendo na Ciência”).

O ideal é falar com tranquilidade e segurança, passando uma mensagem clara. Isso requer  um trabalho árduo durante a preparação da palestra, identificando a mensagem principal de cada slide.

A recomendação é apresentar por volta de 1 slide por minuto. Sempre acho difícil atingir essa meta, mas me esforço.

Lembre-se de que o objetivo da palestra é dar uma ideia geral do problema tratado, da solução proposta e dos resultados atingidos. Detalhes não essenciais podem sempre ser incluídos no artigo a ser submetido.

B) Respeito aos canais de comunicação

Quando você está assistindo a uma palestra, não te irrita quando o palestrante apresenta um slide cheio de frases compridas e ainda por cima fica falando em vez de deixar você ler?

Se isso te incomoda, é porque o palestrante não está respeitando os canais visual e auditivo da comunicação. As palavras escritas, apesar de apresentadas visualmente, são convertidas em uma “voz imaginária” e processadas pelo canal auditivo. Quando o palestrante fica falando ao mesmo tempo, esse canal auditivo fica saturado, o que dificulta a compreensão da mensagem. Ao mesmo tempo, o canal visual fica ocioso.

O melhor é combinar a narração (canal auditivo) com imagens ou gráficos (canal visual) de forma sincronizada, escolhendo a informação apresentada em cada canal para reforçar a mensag

C) Respeito à memória de trabalho

Não adianta apresentar um monte de informações e esperar que o público se lembre de todos os detalhes. A memória de trabalho (ou de curto-prazo) é bastante limitada, funcionando com um “gargalo” pelo qual a informação deve passar.

Isso limita o que pode ser comunicado efetivamente em uma palestra de 12 minutos. Além de apresentar uma mensagem principal por slide, ao apresentar gráficos ou ideias complexas, mostre um elemento por vez e guie o público passo-a-passo, ensinando-o a decifrar a informação.

Seguindo os princípios acima, as dicas e exemplos são esses:

1. Reforce a mensagem principal de cada slide

Comece por analisar se a mensagem principal de cada slide está clara.

Veja a Fig. 1. Qual a mensagem desse slide? Se por algum motivo o público não escutou de forma clara o que você falou, ela não vai entender o que você está tentando comunicar.

Fig. 1. Exemplo de um slide que não tem uma mensagem clara, é repetitivo e difícil de ler. Com as dicas abaixo vamos melhorar essa apresentação.

Fig. 1. Exemplo de um slide que não tem uma mensagem clara, é repetitivo e difícil de ler. Com as dicas abaixo vamos melhorar essa apresentação.

Para melhorar a apresentação, analise cada slide e pergunte-se: “qual a mensagem principal desse slide”? “O que eu quero comunicar?” O ideal é ter uma mensagem principal por slide.

Identificar a mensagem principal requer clareza na lógica da apresentação. Por exemplo, discutindo o slide da Fig. 1, minha conversa com o estudante seguiu mais ou menos assim:

– Qual a mensagem desse slide?

– Eu quero mostrar as curvas das diferentes amostras.

– Por que?

– Hã?… Não sei… Para mostrar o efeito da temperatura?

– Isso! Você quer mostrar que a temperatura tem um efeito nas curvas! Então vamos escrever: “Effect of heating on the curves can be clearly observed.” Ou ainda melhor, vamos usar uma frase mais direta: “Heating affects the results”.

Depois dessa discussão o slide ficou assim:

Fig. 2. Mesmo slide da Fig. 1, mas com a mensagem principal dita claramente no título do slide usando uma frase completa.

Fig. 2. Mesmo slide da Fig. 1, mas com a mensagem principal dita claramente no título do slide usando uma frase completa.

Como você pode ver na Fig. 2, a mensagem agora está clara. Isso torna o processamento da informação mais fácil e ajuda a palestra a seguir uma sequência lógica, respeitando a duração da palestra.

Tente usar frases completas para reforçar a mensagem principal de cada slide.

2. Evite repetição

Ok, está melhor, mas ainda tem muito coisa para melhorar. Por exemplo, para que mostrar três curvas de amostras diferentes que dizem a mesma coisa, como na Fig. 2? Se o efeito observado for controverso, talvez seja importante mostras vários exemplos, mas aqui não é o caso.

Evitando a repetição e tornando um dos gráficos mais visível, o slide ficou assim:

Fig. 3. Mesma slide da Fig. 2, mas eliminando a repetição. A informação restante torna-se mais visível.

Fig. 3. Mesma slide da Fig. 2, mas evitando a repetição. A informação restante torna-se mais visível.

Obviamente o slide agora está mais focado, respeitando a limitação da memória de trabalho.

A mesma dica é válida para informação apresentada de forma quase idêntica em diferentes slides. Questione se a repetição é realmente necessária ou se pode ser eliminada sem prejuízo.

3. Torne o slide “legível”

A informação na Fig. 3 está mais clara, mas ainda é possível tornar os detalhes mais visíveis, principalmente para alguém que está no fundo da sala. Algumas coisas que podem ser feitas:

  • Aumente o tamanho das letras
  • Aumente as espessuras das linhas
  • Remova informações desnecessárias

Aplicando essas ideias, obtemos:

Fig. 4. Gráfico melhorado aumentando o tamanho da fonte, aumentando a espessura das linhas, e removendo informação desnecessária.

Fig. 4. Gráfico melhorado aumentando o tamanho da fonte, aumentando a espessura das linhas e removendo informações desnecessárias. Compare esse slide com o da Fig. 1 para notar a melhora.

4. Introduza um elemento de cada vez, coordenando a narração

O slide da Fig. 4 está muito melhor, mais ele ainda tem um problema. A informação é apresentada toda de uma vez, de forma que o público se perde tentando decifrar o slide. O slide não respeita a limitação da memória de trabalho.

O melhor é introduzir um elemento de cada vez, por exemplo preparando diferentes slides como nas figuras abaixo. Conforme os slides forem avançando, os elementos vão aparecendo, um de cada vez. (Logicamente, esses slides contam como um só na hora de estimar o tempo de apresentação.)

É importante coordenar a narração com os elementos gráficos. Em cada slide apresentamos o que o palestrante poderia estar dizendo.

Para obter esse efeito, trabalhe de trás para frente, começando pelo slide final. Duplique o slide e remova um elemento. Continue o processo até obter a sequência desejada.

Essa técnica deve ser utilizada sempre que apresentar gráficos, diagramas ou informações mais complexas.

Outra vantagem dessa técnica é que a diferença entre os dados fica mais saliente.

5. Elimine detalhes desnecessários

A Fig. 5 abaixo mostra um exemplo de um slide cheio de informações desnecessárias. Sério: quem é que vai ler tudo isso no intervalo de 1 min? Apesar de a tabela talvez ser importante, ela pode ser apresentada no artigo.

Fig. 5. Exemplo de slide cheio de informações desnecessárias.

Fig. 5. Exemplo de slide cheio de informações desnecessárias.

Para a palestra, decida qual a mensagem principal e foque os elementos do slide na mensagem. Por exemplo, removendo todos os elementos desnecessários e focando na mensagem principal, o slide fica assim:

Fig. 6. Slide da Fig. 5 trabalhando para tornar evidente a mensagem principal.

Fig. 6. Slide da Fig. 5, trabalhado para tornar evidente a mensagem principal e remover as informações desnecessárias.

Note que agora a mensagem está clara e o público pode ver quais as amostras que foram utilizadas como parte do trabalho. Uma descrição de como as amostras foram obtidas ou preparadas pode ou não ser importante. Se for importante, talvez seja melhor preparar um slide extra dedicado a esse detalhe.

Lógico, evite novamente apresentar tudo de uma vez. Use a dica 4 para fazer os elementos no slide da Fig. 6 aparecerem um por vez.

6. Enfatize os aspectos mais importantes

Veja o slide da Fig. 7. Quais são os problemas?

Fig. 7. Slide sem ênfase na informação importante.

Fig. 7. Slide sem ênfase na informação importante.

Com certeza ele pode ser melhorado usando todas as dicas anteriores, mas aqui gostaria de discutir a lista apresentada no lado direito do slide. No momento em que você discutir o último ponto da lista, o público já não se lembra do primeiro. Talvez seja importante listar todas as características, mas isso não pode ser feito no artigo?

A sugestão é focar aqui nos aspectos essenciais.

Por exemplo, refletindo nas características importantes, decidimos que apenas três delas são relevantes, as outras são detalhes. Ok, então vamos focar nessas informações. O slide fica assim:

Fig. 8. Slide focando nas informações importantes.

Fig. 8. Slide focando nas informações importantes. (Note que o título também foi alterado para reforçar a mensagem principal.)

Novamente, não apresente tudo de uma vez! Use a dica 4 para preparar slides que apresentam um elemento de cada vez, respeitando a memória de trabalho. A sequência poderia ser algo assim:

7. Algumas sugestões adicionais

  • Ao citar artigos, considere usar uma versão abreviada.

Ao invés de escrever:

Oliveira, L.C., Milliken, E.D. and Yukihara, E.G., 2013. Development and characterization of MgO:Nd,Li synthesized by Solution Combustion Synthesis for 2D Optically Stimulated Luminescence dosimetry. J. Lumin. 133, 211-216.

talvez seja suficiente escrever:

Oliveira et al. (2013) J. Lumin. 133, 211

No futuro apresentaremos dicas de como melhor estruturar a palestra quando ainda não temos os slides preparados.

Se você tem outras dicas ou dicas que podem se aplicar à sua área específica, deixe um comentário abaixo.

Contribuiu para esse artigo: Stefanie Menusso.

Sobre Eduardo Yukihara

Pesquisador | Professor | Autor
Galeria | Esse post foi publicado em Conferências e palestras e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Sugestões para melhorar sua palestra

  1. Ótimas dicas! De muita importância para quem está começando ou quem tem dúvidas.

    Curtir

  2. Augusto disse:

    Excelente! Obrigado pelas dicas

    Curtir

  3. Víni Marcio disse:

    Me ajudou na elaboração da apresentação do doutorado.

    Parabéns!

    Curtir

Dê também a sua contribuição ou sugestão.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s