Principais erros a evitar ao preparar um manuscrito

Existem erros que são bastante comuns e frequentemente resultam na rejeição de manuscritos científicos. Abaixo identificamos alguns dos principais, com o objetivo de ajudar o leitor a evitá-los.

  1. Falta de motivação. Muitas vezes os autores não explicam a motivação do trabalho ou explicam apenas de forma geral, sem dizer especificamente como o estudo em questão pode contribuir para a área de pesquisa e como os resultados avançam o conhecimento nessa área. Se o estudo trata de um novo material, como esse material pode melhorar a tecnologia?
  2. Falta de comparação com a literatura. Uma grande parte da motivação deve ser baseada em resultados anteriores na literatura. Falta de uma comparação dos resultados obtidos com a literatura impede a avaliação da significância dos resultados.
  3. Falta de detalhes experimentais. Muitas vezes os autores apresentam dados experimentais sem explicitar o equipamento usado para a obtenção de dados  e como eles foram analisados. O nível de detalhes deve ser suficiente para que um leitor da área possa reproduzir as medidas.
  4. Falta de incerteza nos dados. Os autores não apresentam uma avaliação da incerteza das medidas ou da reprodutibilidade na preparação ou síntese das amostras. Consequentemente, os resultados podem ser inconclusivos, uma vez que as diferenças ou semelhanças podem ser atribuídas a acidentes estatísticos.
  5. Análises sem propósito. Às vezes os autores apresentam análises dos dados usando algum tipo de método ou modelo quase como um exercício, sem propósito. A motivação para o uso do método não é explicada e os resultados não contribuem para o entendimento do problema. Se um método é usado, o objetivo precisa estar claro e, além do mais, é necessário usar o método adequadamente. Isso implica conhecer e discutir corretamente as hipóteses, usar um conjunto de dados suficiente para estabelecer se as hipóteses são satisfeitas, e fazer uma análise apropriada das incertezas.
  6. Falta de estrutura clara. Muitas vezes os manuscritos não possuem uma estrutura clara e evidente. Cada seção deve ter um propósito claro e, na dúvida, o melhor é seguir o tradicional formato “introdução, metodologia, resultados, discussão e conclusões”. (Veja também os artigos introdução e sobre resultados e discussão.)
  7. Afirmações vagas ou sem justificativa. É comum afirmar, por exemplo, que os resultados indicam uma “boa concordância” com um modelo ou com outros resultados da literatura. Esse tipo de frase é vago: é necessário, neste exemplo, quantificar essa concordância. Afirmações que não são justificadas baseadas nos dados também são problemáticas e devem ser removidas ou justificadas apropriadamente. Se os autores desejam fazer uma conjectura sobre uma possível explicação para os dados, o melhor é iniciar a frase de forma a tornar claro que isso é uma conjectura, como por exemplo: “We speculate that the discrepancy in the results could be attributed to… because…
  8. Semelhança com trabalho publicado anteriormente. Alguns autores publicam trabalhos seriais, que essencialmente consiste, por exemplo, em aplicar um conjunto de análises consecutivamente a diferentes materiais e publicar cada um dos materiais em um novo artigo. Os papers são, portanto, bastante semelhantes e se parecem mais com relatórios do que com artigos completos. Se o manuscrito se parece muito com trabalhos publicados anteriormente pelo mesmo autor sem uma justificativa clara para mais uma publicação, o manuscrito pode ser rejeitado.
  9. Gráficos mal-preparados. Dados apresentados de forma descuidada também são um problema frequente. Isso inclui um número excessivo de gráficos (por exemplo, dados que deveriam ser apresentados em um mesmo gráfico para comparação são apresentados separados), mau uso do espaço do gráfico, eixos mal preparados, número excessivo de curvas nos gráficos sem distinção e identificação clara das curvas, etc. (Veja também o artigo sobre preparação de gráficos neste blog.)

Se você tem outras sugestões de problemas frequentes encontrados nos artigos, deixe o seu comentário abaixo. Ele pode ser útil em revisões futuras deste artigo.

Contribuiu para este artigo: Emico Okuno.

Sobre Eduardo Yukihara

Pesquisador | Professor | Autor
Galeria | Esse post foi publicado em Publicações e marcado , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Principais erros a evitar ao preparar um manuscrito

  1. Josie disse:

    Um dos erros mais frequentes no meu ponto de vista trata-se da redundância na escrita, ou seja, utilização desnecessária, exagerada, repetitiva de palavras numa frase que poderia ser mais curta e que teria o mesmo sentido.

    Curtir

  2. Brigitie disse:

    Muito bom o material, acrescentaria inconsistência de dados e fatos, quando o tema em questão foi refutado

    Curtir

Dê também a sua contribuição ou sugestão.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s