A introdução

A introdução de um artigo científico deve definir o problema a ser tratado, situá-lo no contexto histórico justificando sua relevância, fornecer informação básica para entendê-lo e definir o escopo do estudo em questão. Para ajudar a manter o foco, é útil ter em mente as seguintes questões e tentar respondê-las:

Qual o problema a ser tratado? Responder a essa questão no início do artigo (se possível no primeiro parágrafo) torna a leitura do restante do artigo mais fácil.

Qual a relevância do problema? Tente responder a essa questão através de uma sequência lógica de argumentos ou pontos principais. Guias para comunicação efetiva recomendam que cada ponto principal esteja expresso na primeira frase do parágrafo, as outras frases do parágrafo dedicadas a explicações ou detalhes desse único ponto [1]. O leitor sem interesse pelos detalhes deve ser capaz de captar os pontos principais lendo apenas a primeira frase de cada parágrafo. (Veja exemplos nesse artigo.)

Qual o objetivo e o escopo do estudo proposto? O último parágrafo da introdução, em geral, define o objetivo e o escopo do trabalho, começando por exemplo por “Therefore, the objective of this paper is…”Ao definir o escopo do trabalho, os autores podem esclarecer ao leitor o que não está incluído no estudo, como por exemplo: “It is not the scope of this work to…” Definir o escopo do trabalho adequadamente evita que os revisores sugiram estudos adicionais.

Ao revisar a introdução, tente identificar os pontos principais de cada parágrafo e certifique-se de que as perguntas acima foram respondidas.

Outras sugestões:

  • Evite a revisão “gratuita” da literatura, que não contribui para entender o problema. A seleção criteriosa da informação apresentada demonstra que os autores têm conhecimento da área e sabem da relevância do problema que estão propondo investigar. Informações muito óbvias ou citações de artigos que não são relevantes são indícios de que os autores não conhecem bem a área ou que não sabem distinguir o que é essencial do que não é essencial.
  • Evite detalhes específicos ao artigo em questão, como por exemplo “the samples used in this study…”. Esse tipo de informação deve estar na seção de metodologia.
  • Mantenha o foco eliminando detalhes de menor importância, se possível. Esses detalhes podem ser tratados na seção de discussões.

Referência:

1.         D. O. Graham and J. H. Graham, The writing system. (Preview Press, 2002).

Contribuíram para este artigo: Emico Okuno e Stefanie Menusso.

Anúncios

Sobre Eduardo Yukihara

Pesquisador | Professor | Autor
Galeria | Esse post foi publicado em Redação científica e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Dê também a sua contribuição ou sugestão.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s